Lançamento Chassis World Formula Wild Kart

No último sábado 25/09/2010 a Wildkart Brasil lançou no mercado nacional o chassis World Fórmula.

O evento foi realizado no Kartódromo de Atibaia, muitos amigos e admiradores da marca estiveram presentes para troca de informações e teste no carro.

Clique abaixo para ler mais…

 

Continue lendo…

Dicas do Neri

Dicas básicas para acerto de chassis, pelo preparador Neri.

Essa semana conversamos com o preparador de chassis e motores Neri, de Curitiba-PR. Para quem não conhece, o Neri tem mais de 15 anos de experiência nas pistas, e possui mais de 20 títulos conquistados em competições de kart, entre eles 6 brasileiros, vários metropolitanos, e sul-americanos. O assunto principal não poderia ser outro: Kart.

Pedimos para ele listar algumas dicas básicas de acerto de chassis, coisas simples para ajudar o pessoal que está iniciando no kart, leia abaixo e se for necessário imprima a página e leve para pista para aplica-las em seu chassis. Garantimos que vale a pena.

De cara ele já adiantou que não existe fórmula mágica para acerto de chassis, tudo depende de vários fatores como temperatura, umidade, pista de alta, pista de baixa, pista emborrachada, tipo de chassis, estilo de tocada do piloto, etc…

Mas para o cara que está iniciando do nada, primeiro dia na pista, um acerto básico seria deixar as rodas dianteiras com 1,16m e as traseiras com 1,38m. A medida dever ser seguida de uma ponta da roda a outra, conforme na figura 1.

Figura 1.

A calibragem do pneu frio, supondo que seja um MG amarelo, para pista emborrachada, saia com 9lbs, se não for emborrachada saia com 10 ou 10,5lbs. Se for pneu vermelho pode colocar umas 2 libras a mais.

É o acerto ideal? Claro que não, pois o acerto vem depois de algumas voltas em que você já pode sentir como está o kart, e se você perceber que o kart está saindo de frente na entrada da curva, tente o seguinte:

  • Feche a frente, por exemplo, um espaçador de cada lado.
  • Aumente um pouco a libra do pneu dianteiro.

Se o kart sair de frente do meio da curva, quando você acelera e ele empurra o kart pra fora, nesse caso, uma saída seria ajustar a traseira.

  • Abra mais a traseira
  • Diminua um pouco a libra traseira
  • Coloque um eixo mais mole, se possível

Se o kart começar a sair de traseira.

  • Feche a traseira
  • Aumente um pouco a libra traseira

Supondo que no dia do seu treino resolva chover, não precisa se apavorar, e faça o seguinte:

  • Zerar a traseira. “Zerar” significa deixar o cubo exatamente no final do eixo.
  • Abrir a dianteira, aprox. 1cm a mais do que no seco.
  • Aumente o caster do pneu.
  • Solte um pouco o chassis. “Soltar” significa deixar os parafusos um pouco mais frouxo, mas veja lá heim, não vá soltar o parafuso do freio, da coroa ou da mesa do motor. 🙂

Lembramos que essas são dicas bem básicas para você não se perder no acerto, pois como foi dito acima, o acerto ideal depende de vários fatores.

Para mais informações sobre o preparador Neri, clique aqui.

Dicas para comprar um kart usado

Dicas básicas para comprar um kart usado

Muita gente tem vontade de começar a correr de kart mas não tem idéia por onde começar. Muitas dúvidas surgem na hora de comprar, na hora de escolher, qual motor? qual chassis? O que olhar no kart para não entrar numa furada? Pensando nisso separamos algumas dicas para o pessoal não se bater tanto na hora de comprar. Dividimos este artigo em 2 partes, que em breve publicaremos pelo menos mais outras 7 dicas. Por enquanto fiquem com essas, o texto é comprido, mas garantimos que vale a pena dar uma lida antes de assinar o checão.

1. Onde comprar?

Onde você pode achar mais fácil e rápido kart para vender é em kartódromos e em lojas especializadas, geralmente nesses lugares existem murais com ofertas ou tem alguém que é do ramo e conhece um amigo ou preparador que tenha um kart para vender. Outra opção é pela internet.

2. O que olhar no chassis?

2.1 Tipos de chassis

Atualmente no mercado as marcas mais conhecidas são da Mini, Birel, Mega e Moro. Existe também o chassis italiano Tony kart. Todos são ótimos, o que fica difícil é dizer qual o melhor, o que sabemos é que não existe \”chassis ruim\” e sim \”acerto ruim\”. Aqui em Curitiba o mais usado é o da Mini Master e Mini Supremo. Para maiores informações sobre chassis acesse o site dos principais fabricantes:
www.kartmini.com.br
www.birel.com.br
www.megakart.com.br
www.metalmoro.com.br
www.tonykart.com

2.2 O ano do chassis.

Verifique o ano do chassis, se o preço estiver muito baixo pode ser que o chassis seja muito velho, neste caso não vale a pena arriscar, pois quanto mais velho mais rodado é o kart. O pior não são os quilômetros rodados na pista e sim os quilômetros rodados na grama!

2.3. Soldas

Um dos problemas do chassis são as soldas, olhe bem em toda a estrutura do chassis, se existir alguma solda desconfie, pode ser sinal que o chassis foi muito usado ou levou uma porrada muito grande, mesmo que você questione com o dono do kart o porquê daquela solda ele nunca irá lhe dizer que é uma coisa grave. Se a solda for grande, tipo em toda o volta do tubo, digamos que seja grave, mas se a solda for do tamanho de 1 ou 2 cm não teria tanto problema, mas ai depende do lugar onde está essa solda, como por exemplo perto das rodas é arriscado. Já soldas nos suportes do banco por ex. não seriam tão graves.

2.4 Eixo traseiro

Para verificar se o eixo traseiro esta torto coloque o kart suspenso, de modo que as rodas traseiras saiam do chão, pegue uma chave de fenda e fixe o mais próximo possível do eixo, e gire o eixo. Se a chave ficar pegando em alguns pontos no eixo e em outro não, o eixo está torto. Veja as fotos abaixo como fazer:

 

2.5 Rolamentos

Esse é fácil, para saber se as rodas dianteira e traseira não estão com muita folga ou “roncando”, apenas gire a roda e coloque o ouvido bem próximo do rolamento, se fizer um ronco muito alto, o rolamento está detonado. Para saber se está com folga coloque o dedo no rolamento e mova a parte externa, assim você saberá se tem folga ou não.

2.6 Freios

Veja se as mangueiras do freio não estão com bolhas de ar, se existir será necessário “sangrar” o freio, não é nada grave, mas já dá um trabalho extra. Verifique também se o disco de freio não está torto. Para verificar se está torto o processo é o mesmo do eixo traseiro, veja as fotos abaixo:

2.7 Banco

Tire a capa do banco (se tiver) e verifique se o banco não está quebrado ou se está muito cheio de furos e remendos. Isso também não é tão grave assim, pois basta passar mais uma camada de fibra vidro, que o problema está resolvido, mas também seria um trabalho extra.

2.8 Se o chassis não está empenado.

Esse teste é relativamente fácil de fazer, para saber se o chassis não está empenado, faça o seguinte: Coloque o kart em uma superfície plana e gire o volante todo para a direita. Fazendo isso a roda esquerda deve levantar um pouco do chão, (não mais que 2 cm). Faça o mesmo para outro lado, não importa muito o quanto elas se levantem do chão, importa que elas levantem a mesma altura dos dois lados. E conforme foi lembrado pelo internauta Igor, não se esqueça que o chassis deverá estar com o geometria “zerada”  e os pneus com a mesma calibragem e no mesmo estado de desgaste.


Primeiro você deve se perguntar: Para que eu quero o kart? para se divertir com baixo custo? para investir profissionalmente? para tem o prazer de sentir a potência de um motor? Enfim, é uma questão muito delicada, mas vamos tentar ajudar.3. Qual motor?

3.1 Motor para se divertir, não importa a velocidade:
Nesse caso aconselhamos um motor Honda 4 tempos 5,5 HP. É bem provável que você já tenha visto um desses motores, são a preferência de 10 em cada 10 donos de pista de kart indoor. São motores um pouco mais caros, mas que não correm tanto devido a pouca potência, vem com embreagem centrifuga (o motor não morre quando o kart para) e o melhor, dá menos problemas. Outro motor que dá menos manutenção é da moto CG 125, é difícil de achar um kart com motor desses, mas existe.

3.2 Motor para se divertir, com velocidade, e barato:
Um motor bem indicado seria um RD 135, pois a manutenção desses motores é mais baixa se comparado com os tradicionais de kart, dependendo da preparação esses motores podem chegar a 130km/h, ou mais. A adrenalina de acelerar um kart com esses motores é fantástica, a sensação de velocidade e as trocas de marchas é muito próxima dos carros de corrida.

3.3 Motor para competir:
Nesse caso meu amigo, prepare o bolso, além de existirem vários modelos no mercado, como Parilla Evolution, PCR, Riomar Super, etc… a manutenção desses motores é cara e curta vida útil. São ótimos motores, mas o porém são os preços.

3.4 Pensando no futuro?
A tendência mundial, é para o uso de motores 4 tempos que poluem bem menos que o de 2 tempos. Um exemplo é o Biland, já existe até campeonato no Brasil, o Billand Challenge.

3.5 O que olhar no motor?
A melhor maneira de você saber se um motor está bom ou não é levar o kart para a pista e dar umas voltas pilotado por alguém que já tenha experiência no tipo de motor que você está comprando. Mesmo assim em se tratando de motores de competição nunca se sabe o certo quando o motor vai quebrar.

fonte: www.centralkart.com.br
Quer copiar o texto? Pode copiar, desde que cite a fonte.

Chassis Tony 97

Arquivo em 3D do Chassis Tony Kart 97

Tony Kart é um chassis muito conhecido no mundo do kart, no Brasil nem tanto, mas na Europa e Estados Unidos é bastante usado.

 

 

Logo abaixo estamos disponibilizando o modelo em 3D deste chassis criado no software SolidWorks. Estão em duas partes, o primeiro é um arquivo executável, (não precisa instalar, só fazer o download e executar), com uma imagem 3D completa do chassis. Existem várias opções para mudar de cor, ver medidas e destacar algumas partes.

A segunda parte estão em arquivos .SLDPRT (zipado). Para visualizar estes arquivos é necessário o software SolidWorks, que você pode baixar no site www.solidworks.com. Sugestão: se você quer apenas ver por curiosidade, baixe somente a versão Viewer em Português, que é Free, clique aqui para ir direto no viewer.

Clique nos links para baixar:

Programa Executável
Arquivos SolidWork

Fonte: blog.kartbuilding.net