Como testar uma ignição PVL

O problema mais comum que encontramos em ignição de kart, não é defeito da PVL e sim na conexão do cabo da vela com o cachimbo. A parte metálica do cachimbo não entra em contato com o fio do cabo da vela.

É comum testar a ignição retirando a vela do motor e com ela ainda no cachimbo, deixar encostada no cabeçote, e girar a roda do kart para ver se pula faísca na vela. Com uma folga de mais ou menos 1 milímetro entre o cabo e o cachimbo tem faisca na vela mas quando a vela é colocada no cabeçote o motor não pega ou anda falhando.

Foto 2 - Clique para ampliarFoto 1 - Clique para ampliarPara testar cabo/cachimbo faça o seguinte:

1. Utilize um multímetro digital, e ajuste na escala de OHMS maior que 10KΩ (20 ou 40KΩ depende do multímetro)

2. Coloque uma das pontas de prova, não importa qual, na carcaça ou no fio preto do CDI (parte de cima da ignição) e a outra ponta dentro do cachimbo. O multímetro deve indicar uma valor entre 4,8K Ohm – 5,1K Ohm para ignição analógica. Ignição digital usa cachimbo resitivo com 5 KΩ. Não use cachimbo resistivo em ignição analógica. (foto 1)

3. Se não medir nada ou valor estiver muito alto (10 KΩ ou mais) retire o cachimbo e refaça o teste conforme mostra a foto 2.

4. Se o valor medido agora estiver entre 5KΩ e 6,5KΩ o problema é no cachimbo e a bobina de alta tensão está boa. Infelizmente se este teste constatar que a bobina de alta tensão estiver aberta (não medir nada no multímetro) não temos como reparar. Este defeito é muito raro de acontecer. Outros problemas tem conserto.

Teste da parte de baixo (Bobina)Foto 3 - clique para ampliar

1. Use agora uma escala menor que 1KΩ e meça os fios que saem da bobina foto.

2. O valor medido dever estar próximo de 52Ω para bobina 1056 a mais comum usada em kart.
(Para outras bobinas consulte a tabela da PVL abaixo.)
A bobina deverá ser rebobinada para valores muito fora do especificado.

1050, 1051, 1055, 1056, 1062, 1064, 1070, 1071, 1076, 1079, 1081, 1093, 1099, 1414, 1415, 1416, 1418, 1419, 1420, 1421, 1422, 1423, 1424, 1425 aprox. 47.5 – 52.5 Ohm
1013, 1068, 1074, 1075, 1077, 1086, 1413 aprox. 84.55 – 93.45 Ohm
1052, 1054, 1057, 1058, 1061, 1063, 1065, 1066, 1072, 1078, 1082, 1083, 1085, 1088, 1089, 1094, 1096, 1411, 1417, 1427 aprox. 162.45 – 179.55 Ohm
1067, 1084, 1098 aprox. 172.19 – 191.90 Ohm
1087, 1410 aprox. 180 – 220 Ohm
1095, 1097, 1426, 1429 aprox. 216.6 – 239.4 Ohm

Teste do CDI

1) Ajuste o multímetro na escala de DIODO.
2) Coloque o cabo positivo do multímetro na carcaça do CDI.
3) Coloque o cabo negativo (preto)  no pino curto do CDI. Deve medir próximo de 560 mv.
4) Coloque o cabo negativo no pino longo. Deve medir próximo de 1090 mv. 
 
Essas leituras podem variar de multímetro para multímetro. O importante é que não devem ficar muito abaixo do indicado acima e a leitura maior deve ser igual ou maior que do dobro da outra.
 
Se as medidas estiverem ok e a ignição não funciona e você está se perguntando: – Que raio de quadrado branco é esse na cara da PVL? Para saber a resposta, veja a matéria:  Fazendo a PVL pegar no tranco. 

 

 Verificando curto circuito na bobina

 

1. Coloque os dois fios da bobina em curto e meça entre os fios e a parte metálica da bobina (carcaça).

2. NÃO deve medir nada em NENHUMA escala de resistência,  mesmo sendo medido um valor alto 100KΩ ou mais, existe curto circuito entre a bobina e a carcaça. A bobina deve ser rebobinada.

Foto 4 - clique para ampliarObs.: Neste teste evite pegar nas pontas de prova pois se você estiver com os dedos úmidos
o multímetro indicará uma leitura errada.

 

Foto 5 - clique para ampliarVerificando o rotor (imã).

  Os dois imãs devem ter magnetismo suficiente para se auto-sustentar "grudado" numa chave de fenda.
Veja foto 5

 Se todos os testes derem ok provavelmente o CDI (parte eletrônica) está com defeito.

  fonte: www.centralkart.com.br

   * Quer copiar o texto? Esteja a vontade. A cópia é para colocar no seu site? Sem problemas, pelo menos tenha a dignidade de citar a fonte, ok?

Deixe uma resposta